São Policarpo de Esmirna

Heróis dos primeiros séculos da era cristã,

elos que ligam a Tradição à Bíblia

  CONVERTIDO à religião católica no ano de 80, Policarpo (69-155) foi discípulo de São João Evangelista, de quem recebeu o espírito e a doutrina de Jesus Cristo.

Em 96 foi sagrado bispo, sendo-lhe confiada a diocese de Esmirna, na atual Turquia.

“Sei tua tribulação e pobreza, porém, és rico”. “Sê fiel até à morte e dar-te-ei a coroa da vida” (Apoc. 2, 8-10). É possível que estas passagens do Apocalipse de São João refiram-se a Policarpo.

Inácio de Antioquia, outro santo, bispo e mártir, alegrou-se muito com a visita de Policarpo, e escreveu duas cartas importantes: uma ao próprio Policarpo e outra aos fiéis de Esmirna, em que lhes dá sábios ensinamentos sobre a santa doutrina.

Policarpo de Esmirna, bispo e mártir

Policarpo administrou a diocese como verdadeiro apóstolo, com firmeza e caridade, pela palavra e pelo exemplo, como compete a um verdadeiro pastor de almas. Muitos infiéis converteram-se ao Cristianismo.

É de sua autoria uma carta aos Filipenses, repleta dos mais belos ensinamentos e sábios conselhos. No tempo de São Jerônimo esta epístola costumava ser lida publicamente nas igrejas.

Já avançado em idade, fez uma viagem a Roma, para tratar com o Papa Aniceto sobre a questão da Páscoa. Encontrou muitos cristãos que se tinham deixado enganar pelos hereges, e reconduziu-os ao caminho da verdade.

Perguntado pelo herege Marcion se o conhecia, respondeu prontamente que sim: você é o filho mais velho de Satanás!

De volta à Ásia, encontrou na diocese o decreto de perseguição, publicado pelo imperador Marco Aurélio. A autoridade local tentou fazê-lo queimar incenso aos deuses pagãos, ao que ele retrucou:

  “Ameaça-me com fogo que dura apenas alguns momentos. O que eu não quero é ir ao fogo eterno que nunca se apaga”.

Mataram Policarpo com golpes de espada e lançaram seu corpo ao fogo.

“Tiramos das cinzas os ossos, para nós mais preciosos que ouro e pedrarias, e esperamos poder, com a graça de Deus, reuní-los, para festejar o dia do seu aniversário, isto é, do seu martírio”, que foi em 23 de fevereiro de 155 (ata do martírio).

O túmulo de São Policarpo, um dos Padres Apostólicos, acha-se numa capela em Esmirna. #

Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *