O irmão Leão e a escada branca

Caso típico da mediação de

Maria Santíssima

SÉCULO 13. Na diversificada Península Itálica, temos a próspera região da Úmbria, onde fica a incomparável Assis. Aqui, um jovem rico se torna pobre e está fazendo apologia da pobreza, para contrapor a alguns desvios na sociedade. Consegue atrair outros. São 12 membros que, à imitação de Jesus Cristo, indicam ao povo o caminho do Céu. Com palavras evangélicas e exemplo de vida. Escolheram a via do desapego dos bens terrenos, para melhor alcançar os eternos.

A devoção a Nossa Senhora é outra característica desse grupo, que está expandindo muito. O Céu os abençoa: até milagres estão operando; muitos milagres.

O jovem é Francisco, e Leão é um de seus seguidores.

Os muitos casos a respeito deles, que estão na boca do povo, são chamados de “fioretti”, ou seja, florezinhas.

Duas escadas ─ Dizem que esse Frei Leão teve o privilégio de uma visão sobrenatural: viu uma escada branca, no alto da qual estava Nossa Senhora; e outra vermelha, com Jesus Cristo lá em cima. Notou que alguns tentavam galgar a escada vermelha, mas caíam logo após subirem os primeiros degraus; tentavam de novo, mas não conseguiam.

Mas, os que escolheram a escada branca tiveram pleno êxito, pois quando começavam a se cansar, uma mão os puxava para cima, e assim chegavam seguros ao Paraíso. Frei Leão percebeu que a mão era de Maria!

Mediadora ─ Segundo o Pe. Manuel Bernardes (1644-1710), assim como para Deus não temos outro mediador senão Cristo, assim para Cristo não temos outra mais próxima e eficaz mediadora como lhe chamam os Santos Padres , senão Maria Santíssima Senhora nossa e Mãe Sua.

Esta, pois, é a escada branca; escada, porque serviu de descer Deus aos homens, e serve de subirem os homens a Deus; e escada branca, por sua inocência puríssima e candidez virginal. #

 

Grupo de Estudos e Pesquisas

Leigos que professam a religião católica, apostólica, romana, e se consagram a Nossa Senhora segundo o método de São Luís Grignion. Há bacharéis em teologia, missionários, escritores, professores, estudantes. Alguns colaboram em revistas, boletins e sites, ou exercem voluntariado em entidades beneficentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *