Grandezas da humildade – II –

Ensinamentos dos Santos e o exemplo

de Nossa Senhora

São Gregório Magno: Acrescenta São Lucas: “Todos os vales sejam levantados, todas as montanhas e colinas sejam abaixadas”. O que designam aqui estes vales, senão os humildes, e os montes e as colinas, senão os orgulhosos? Com a vinda do Redentor, segundo a sua própria palavra, “quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado” (Lc 14, 11).

Todos os vales serão levantados porque os corações humildes, ao acolherem a palavra da santa doutrina, serão cumulados pela graça das virtudes, segundo o que está escrito: “Das fontes fez jorrar rios, que serpenteiam nos vales” (Sl 104, 10).

Santo Agostinho: O nosso caminho é Cristo na sua humildade; Cristo verdade e vida é Cristo na sua grandeza, na sua divindade. Se seguires o caminho da humildade, chegarás ao Altíssimo; se, na tua fraqueza, não desprezares a humildade, permanecerás forte no Senhor. Assim, tornando-Se nosso caminho, Jesus exorta-nos: “Entrai pela porta estreita!” (Mt 7, 13). A pessoa esforça-se por entrar, mas o inchaço do orgulho impede-a de tal. Deve, então, aceitar o remédio da humildade, beber esse medicamento amargo, mas salutar.

E para receber aulas de humildade, escolha o pescador. Pois o senador, o orador e o imperador podem gloriar-se daquilo que são; o pescador apenas pode gloriar-se de Cristo. Assim, será o pescador a ensinar-lhes a humildade que leva à salvação.

São Bernardo de Claraval: A graça de Deus é um bálsamo muito puro, que precisa de um vaso muito especial. Ora, o que há de mais puro que a humildade de coração? É por isso que Deus “dá a sua graça aos humildes” (Tg 4, 6). Foi com razão que “Ele pousou o seu olhar na humildade da sua serva” (Lc 1, 48); porque num coração humilde a plenitude da graça pode expandir-se livremente.

Eva, a primeira mulher, é substituída por Maria, uma mulher humilde. Em vez do fruto da árvore da morte, Ela apresenta aos homens o Pão da Vida, substituindo aquele alimento amargo e envenenado, pela doçura dum alimento eterno.

São Luís Maria Grignion de Montfort: Ao longo da sua vida, Maria deu muito pouco nas vistas. A sua humildade era tão profunda que não teve na Terra interesse mais forte e mais constante do que esconder-se perante si mesma e perante toda criatura, para só ser conhecida por Deus.

Santo Agostinho: Foi para tratar o teu orgulho que o Filho de Deus desceu e Se fez humilde. Porque te orgulhas, se Deus Se fez humilde por ti? Talvez te envergonhe imitar a humildade de um homem; imita então a humildade de Deus.

A ti, ordena-se que sejas humilde. Ouve a Deus que te ensina a humildade: “Não vim fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que Me enviou” (Jo 6, 38). Vim, humilde, ensinar a humildade, como mestre de humildade. Aquele que vem a Mim incorpora-se a Mim e torna-se humilde. Não faz a minha vontade, mas a vontade de Deus. Desse modo, não será lançado fora (Jo 6, 37), como quando era orgulhoso.

Eis alguns aspectos pontuais sobre esta virtude grandiosa, embora seu nome pareça remeter para o que é pequeno. #

Veja também uma observação sobre porta baixa em Segredo do último lugar

 

Grandezas da humildade – I –

O que Jesus e seus Santos ensinam

sobre esta virtude

“Deus resiste aos soberbos e dá a graça aos humildes” (Jo 4, 6).

“Quem se humilha será exaltado e quem se exalta será humilhado” (Mt 23, 12).

“Se alguém quiser vir após Mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-Me” (Lc 9, 23).

“O meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11, 30), pois o amor suaviza o que os preceitos podem ter de penoso.

“Aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração” (Mt 11, 28-29). São João Cassiano comenta: Aí está, efetivamente, o que todos podem aprender e praticar. Pois a humildade é a mestra de todas as virtudes.

São Bernardo de Claraval acentua que a humildade é uma virtude pela qual o homem se tem por vil, graças a um conhecimento muito preciso de si mesmo.

‘Muitas vezes, é mais útil para a conservação da nossa humildade que os outros conheçam os nossos defeitos e os censurem. Quando uma pessoa se humilha por causa dos seus defeitos, acalma as outras facilmente e satisfaz sem custo as que com ele se iravam’ (Imitação de Cristo – Tratado espiritual do século XV).

São Basílio: O Senhor desceu do Céu até à humilhação mais profunda e, em recompensa, foi exaltado até às alturas, fazendo brilhar sua glória. Sigamos seu exemplo, para chegarmos, também nós, à glória eterna. Descubramos tudo o que Cristo nos ensina para nos conduzir à humildade.

São Máximo de Turim: Cristo Nosso Senhor, ao nascer na humildade da condição humana, qual semente, sobe ao Céu como árvore. Cristo é o grão esmagado na Paixão, que Se torna uma árvore na ressurreição. Sim, Ele é grão quando, faminto, sofre por falta de alimento; é árvore quando, com cinco pães, satisfaz a fome a cinco mil pessoas (cf Mt 14, 13s). Ali, experimenta o despojamento da sua condição humana, aqui espalha a saciedade pela força da sua divindade.

São Cesário de Arles: O cuidado da nossa alma é semelhante ao cultivo da terra. Assim como para cultivar a terra se arranca de um lado e se extirpa do outro até a raiz para semear o bom grão, o mesmo se deve fazer à nossa alma: arrancar o que é mau e plantar o que é bom; extirpar o que é prejudicial, transplantar o que é útil. #

 

Pica-pau, por quê?

Uma ave perseverante no trabalho

Se a História é mestra da vida, o que dizer da natureza? Com efeito, os humanos aprendem a voar, de tanto observar e invejar os pássaros. Cavam túneis, imitando os tatus. Tentando superar a inferioridade em relação aos peixes, inventam o submarino.

Assim, poderíamos enumerar outros animais que são exemplos para nós, cada um a seu modo: pomba, leão, ovelha, serpente, cachorro, gato etc. Alguns foram honrados com citações nas Sagradas Escrituras. São Pedro certamente teria muito a nos contar sobre o canto do galo…

Mas, qual é a mensagem do pica-pau?

Primeiramente, vejamos quem é. Fato corriqueiro é ouvirmos batidas semelhantes às de martelo, e descobrirmos tratar-se de um pássaro encarapitado no alto da árvore. Vem logo à mente: como pode um bicho tão pequeno fazer ruído tão marcante?

Martelo vivo e inteligente…

Todo ele, do bico às patas, é um martelo… inteligente. O pescoço forte e o bico rijo dão firmeza e rapidez às bicadas. As 2 patas com 4 garras cada, garantem o resto. Se necessário, a cauda ajuda no equilíbrio, pois é dotada de penas especiais. Por isso – depois de escolher a árvore ideal – gruda nela verticalmente, perfura o tronco, devora os insetos e larvas que encontra e ainda prepara uma casa para a família morar.

É trabalho árduo, que pode demorar um dia inteiro. Mas não desanima. Era para ficar com dor de cabeça depois de dar centenas de cabeçadas. Por quê não acontece? Deus o equipou especialmente para esse fim: o crânio é mais reforçado e tem um amortecedor antes do bico.

Por outro lado, o pica-pau poderia ser qualificado de linguarudo, pois, com sua língua de 25cm dotada de farpas, consegue fisgar os insetos nos orifícios da madeira.

Das 200 espécies dessa ave que há no mundo, 50 estão no Brasil e são os exemplares mais bonitos.

Sendo a natureza obra do Criador, devemos procurar em cada criatura qual exemplo ela nos fornece. O pássaro em questão parece dizer para nunca desanimarmos, mesmo que seja trabalho duro, cacete, enfadonho. Persevera! – é a mensagem de cada martelada. Que lição tão grande nos dá essa ave tão pequena… As dificuldades devem ser enfrentadas, custe o que custar.

Tanto mais que contamos com o auxílio da graça de Deus, por intercessão de Nossa Senhora, coadjuvados por Anjos e Santos.

Textos consultados: Os mistérios de Deus demonstrados numa pequenina ave: o pica-pauhttp://www.arautos.org/secoes/artigos/doutrina/espiritualidade/os-misterios-de-deus-demonstrados-numa-pequenina-ave-o-pica-pau-217902

e Pica-pau https://pt.wikipedia.org/wiki/Pica-pau

♣  ♣  ♣  ♣  ♣