Prece de 7 bilhões

 

Enfrentando o desafio da

pandemia

Deus Pai Onipotente, fostes Vós que fizestes o universo visível e o invisível. Criastes os humanos “à Sua imagem e semelhança” (cf Gn 1, 26-27), destinando-lhes uma morada paradisíaca, com as diversas criaturas convivendo em paz.

Com o pecado de Adão entraram nesse paraíso a revolta, o trabalho, a doença, a morte. Vieram a agressividade das feras, o veneno das serpentes, dos escorpiões ─ inimigos externos relativamente fáceis de se evitar. E chegaram as pragas!…

Agora veio também um batalhão de criaturinhas invisíveis ao olho humano, os vírus, que especialistas e autoridades globais não chegam a um acordo para eliminá-los, mal conseguindo colocar rótulos: novo coronavírus? gripezinha? vírus chinês? covid19?… 

Portanto, sobre cada um dos sete bilhões de habitantes, paira a perspectiva de ficarmos mascarados e/ou confinados, lamentando o cortejo fúnebre de entes queridos, e à espera da nossa vez… Até quando? 

Ó Senhor Deus Uno e Trino — Pai, Filho e Espírito Santo —, pedindo perdão por nossas faltas, Vos suplicamos, confiantes na intercessão da Santíssima Virgem Maria:

Senhor, salvai-nos para não perecermos!

(cf Mateus 8, 25). #

Garrafa quebrada e esmola mensal

 

Gaúcha, filha de oficial do Exército, Cecy Cony teve a graça

de sentir, desde os 5 anos, a presença do seu

Anjo da Guarda a seu lado.

Nascida em Jaguarão em 1900, foi freira franciscana (Irmã Maria Antônia) e professora em São Leopoldo, onde faleceu em 1939.

A pedido da sua superiora, deixou interessantes memórias (“Devo narrar minha vida” – Ed. Vozes – 1949). Veja mais este capítulo:

AO RECEBER o soldo mensal, papai tinha o costume de dar 5$000 a cada um de nós para comprar o que desejássemos. Eu já estava com a ‘fortuna’ de 10$000, o que daria para adquirir um bonito par de patins, ao preço de 7$000, e o troco em chocolates.

Sem perda de tempo, saio para as compras. A meio caminho topo com uma pobre negrinha, mais ou menos da minha idade, suja e maltrapilha, a chorar ante os cacos de uma garrafa de querosene que alagava o chão. Parei estática ante aquela triste cena, a olhar, ora para os cacos, ora para a negrinha que se desfazia em soluços. E foi ela quem quebrou o silêncio:

Fui comprá uma garrafa de “gáis” pra vizinha e ela ia me dar um tustão, e agora nem tenho dinheiro pra pagá o “gáis”, nem vou ganhá tustão e a minha mãe vai me surrá.

Fiquei com enorme pena da menina, e lembrei-me que dispunha do troco de 3$000 para os chocolates. Disse a ela que iria na farmácia trocar uma nota, e dar-lhe o dinheiro do querosene, mas que parasse de chorar.

A menina, incontinenti, enxugou as lágrimas na orla do vestido e, num dois por três, estava a mostrar os dentinhos brancos como a neve.

Voltando com o dinheiro trocado, fui dar-lhe o valor da garrafa mais um dinheirinho para ela, totalizando 1$500. Mas o Anjo da Guarda me interrompeu. Entendi, então, que meu protetor queria que eu desse tudo: os 10$000. Depois de um tempinho de indecisão, concordei, renunciando, assim, aos patins e às barras de chocolate. Vitória sobre o meu egoísmo!

E mais: combinei com ela que todo dia 4 fosse à minha casa pegar o “precioso soldo” de 5$000, o que ela fez até dezembro de 1914. Em janeiro ela se despediu de mim porque iria mudar-se com uma família para Pelotas (cf obra citada, p. 139-143). *

 

Uma só Maria, mil Nossas Senhoras

Os vários nomes

da Virgem Mãe de Deus

O SOBRENOME DELA, a História não registra. Entretanto, a devoção do povo e a sabedoria dos doutores não Lhe economizam títulos. Mais de mil! Eis alguns:

Sendo ainda criança, é Nossa Senhora Menina.

Recebendo o anúncio do Anjo, é Nossa Senhora da Anunciação, de Nazaré, Imaculada Conceição.

No presépio, é Nossa Senhora de Belém, Mãe de Deus.

Do Egito, do Desterro ou do Exílio, por ter fugido com Seu Tesouro ─ junto com o esposo São José ─, das garras assassinas de Herodes.

Naquela festa de casamento na Galileia, o primeiro milagre de Jesus é intermediado por Ela. Daí as alegres invocações: Nossa Senhora de Caná, dos Esposos ou dos Milagres.

Acompanha Seu Filho nas pregações? O povo A chama, com entusiasmo, de Nossa Senhora da Evangelização.

Estando com o Messias nos trágicos episódios desfechados no Calvário, recebe títulos carregados de sentimento: Nossa Senhora das Dores, da Piedade, das Lágrimas, Virgem Dolorosa.

Mas, nos triunfos de Cristo, é Nossa Senhora da Ressurreição, de Pentecostes, da Glória.

Santos, teólogos e Papas a consideram Rainha.

Da Assunção, por ter sido elevada aos Céus em alma e corpo.

Mas, lá na glória celeste, junto à Santíssima Trindade, está sempre intercedendo por seus filhos aqui na Terra, e para isso Se manifesta cá, lá e acolá.

Surgem, assim, incontáveis Nossas Senhoras, cada qual com seu santuário e maravilhosas histórias:

Loreto, Carmo, Perpétuo Socorro, Auxiliadora, Pilar, Bom Conselho, Salette, Guadalupe, Bom Sucesso, Aparecida, Medalha Milagrosa, Lourdes, Fátima…

Maria é o nome feminino mais usado em escala mundial, tanto isoladamente quanto conjugado com outros. #